• Mostra de Processos – Outubro

    Mais três trabalhos do NECITRA em processo vão para a cena com o intuito de promover diálogo entre artistas e público. Saiba mais o que será apresentado:

    Diego Esteves reapresentará a cena “Era uma vez: Ana…” e um novo experimento, “Era uma vez: Luana…”. Qualquer semelhança não é mera coincidência: as duas cenas tem como tema os relacionamentos amorosos, ressaltando os exageros dessas relações – desejo, paixão, apego, liberdade, recusa, dor, falta, desejo… O que na vida ganha um ar serio e emoções intensas, no palco é vivenciado com humor, quando percebe-se as contradições e paradoxos dos nossos relacionamentos, com os outros e consigo mesmo.

    “Como se move um corpo que não se move?” – de Patricia Nardelli

    Trata da investigação dos efeitos da imobilidade como forma de buscar acessar o corpo nos processos decorrentes da sua mortalidade. Para tanto, o corpo se submete a um período de resistência ativa aos impulsos de movimento, voltando a atenção para os incômodos gerados durante o transcorrer da experiência. Dessa forma, os incômodos físicos e o estado de consciência atingido servem como guias para a movimentação, possibilitando a descoberta de um novo corpo e de suas possibilidades de movimento.

    “Pequena Parte” – de Fernanda Boff

    Em meio a recordações, registros por escrito, em vídeo e histórias contadas, a artista visita sua infância na busca de redescobrir seu eu-arteiro e suas reverberações. Em uma época que brincar/artistar a vida é basicamente estar e se relacionar com o mundo, como as memórias e registros de criança podem servir de alimento para essa arte que agora é profissão? – Esse laboratório faz parte do projeto “Pequenices”, contemplado pelo Prêmio Funarte Klauss Vianna de Dança 2014.

    Mostra de Processos

Comments are closed.