Tubo de Ensaio

O circo se faz em qualquer lugar, assim como a dança e o teatro. Todos os três tem sua essência no movimento, no corpo que age, e age em um espaço. Nem sempre existiram salas de teatro, nem palco, nem lona, tampouco picadeiro. Mas sempre existiu o movimento.

Na estruturação de um campo de conhecimento, ele se instrumentaliza, e essas ferramentas passam a ser sua mediação com o mundo: aparelhos, palco e cenografia. As artes cênicas, por criarem esses artifícios – que dão forma a cena – se afastaram da vida – ao menos de uma certa concretude dela. O movimento contemporâneo, com as artes da cena, mas também com as artes visuais, vem quebrando com esta forma: desde a quarta parede, até o questionamento da presença ou não de um palco, ou mesmo de uma cena.

O Tubo de Ensaio é um projeto do NECITRA, quem tem uma dupla função: trazer os corpos, cheios de referências do circo, dança e teatro, para a concretude do espaço e, sobre ele criar, bem como usar este momento como um laboratório, um exercício para futuras obras.

Acreditamos numa arte que se faz no cotidiano, na criação oriunda das “pequenas” coisas, de cada instante – que são do tamanho da atenção do olhar. O Tubo de Ensaio é então o momento em que nos fechamos num pequeno mundo, para exercitar o nosso olhar e nosso movimento sobre as coisas cotidianas deste espaço, e com isso pensar nossa arte e nossa relação com a platéia.

Elenco: poderá variar a cada edição.

Concepção e Direção geral: Diego Esteves

Dhomba, 2011:

Alfredo Bermúdez, Diego Esteves, Fernanda Bertoncello Boff, Genifer Gerhardt, Juliana Rutkowski, Juliano Freitas, Kalisy Cabeda e Rafael Gomes.

Apartamento, 2012:

Alfredo Bermúdez, Diego Esteves, Fernanda Bertoncello Boff, Genifer Gerhardt, Kalisy Cabeda, Rafael Gomes e Viviana Schames.

Deixe uma resposta