Processo Seletivo 2017

 

Temos o prazer de informar que inicia em fevereiro nosso quinto processo seletivo para a participação no núcleo! Sempre com o intuito de inovar e experimentar, em 2017 o NECITRA optou por um processo com formato diferente dos anos precedentes.

O período de seleção estará aberto desde fevereiro até outubro de 2017, podendo ser enviadas inscrições durante todo este período.

 

 

Procedimento:

Preencher o formulário com informações sobre a/o artista: goo.gl/nGspSE

Enviar currículo, portfólio, links com fotos e/ou videos do seu trabalho para o e-mail necitra@gmail.com

 

Demais informações:

Se quiser conhecer mais sobre o NECITRA e como trabalhamos, temos este texto produzido em 2015 que apresenta o núcleo. Sugerimos a leitura para quem quiser participar do processo seletivo.

O núcleo não segue uma única direção, as decisões são tomadas em reuniões. Possuímos coordenador, tesoureira, secretaria e coord. da comunicação – que compõe a diretoria. Este texto fala sobre as diferenças entre diretor e coordenador dentro do núcleo, caso haja interesse em saber mais sobre.

O núcleo é orientado por seu regimento interno, de indispensável leitura para quem quiser participar do processo seletivo.

Se deseja inscrever-se, seja bem-vinda/bem-vindo. Dúvidas podem ser sanadas pelo e-mail necitra@gmail.com.

Boa sorte!

Mostra de Processos – Março

Mais três trabalhos do NECITRA em processo vão para a cena com o intuito de promover diálogo entre artistas e público. A entrada é franca. Saiba mais o que será apresentado:

“Artistas com fome” – Ramon Ortiz

Texto cômico de autoria e interpretado por Ramon Ortiz. Ao estilo Stand Up Comedy, Ramon leva ao público a reflexão do artista em começo de carreira, que longe dos “mass media” é desconhecido do grande público, mas tenta manter a convicção do ser artista. Mas ser reconhecido como um artista, pode não ser uma tarefa tão fácil, quando nos deparamos com a realidade dos dia-a-dia e como as pessoas em geral enxergam a arte e seus operários.

“Contágio” – Gabriel Martins

Esse experimento é a retomada de uma pesquisa iniciada em 2013 em que o artista explora as possibilidades de movimentos em diálogo com o objeto. Busca no malabarismo e na dança contemporânea referencias que dão suporte a essa investigação, prática permanente na trajetória do artista.

“Duplo e outros olhares” – Diego Esteves

O objeto está entre os corpos – do artista, do público. O corpo objeto. Dois pontos de vista, possíveis olhares. Um terceiro ponto de vista, e um duplo, expandem a cena, expandem os olhares. O experimento “Duplo e outros olhares” inaugura uma nova fase da pesquisa com tecnologias na cena, iniciada em 2009 com o espetáculo Gestos e Restos. Nesta Mostra será utilizada a projeção em tempo real ampliando a relação da plateia com a composição cênica resultado da pesquisas de movimentos com bolas e canos. Cruzamentos de técnicas, possibilidades, outros olhares.

Mostra

Resultado primeira etapa do processo seletivo do NECITRA

Prezados inscritos,

Agradecemos a tod@s os inscritos no processo seletivo do NECITRA, ficamos felizes em receber o material de vocês. Abaixo segue a lista dos selecionados para a segunda etapa do processo, que acontecerá de maneira presencial, no Canto 400 (sala 400 na Usina do Gasômetro). Ao lado de cada nome, constam os respectivos horários de entrevista.

 

Terça feira dia 08/03:

14h15min – Wagner Goulart

14h35min– Natália Bandeira

14h50min- Gabriel Cabezas

15h10min- Luciana dos Santos

15h30min- Mariana da Fonseca

15h50min-  Gabriely Souza

16h10min- Cristiano Morales

 

Quinta feira dia 10/03:

14h15min – Tayná Barboza

14h35min– Tuanny dos Santos

14h50min- João Gabriel de Queiroz

15h10min- Adriano Soares

15h30min- Francesco D´ Avila

15h50min- Carollini Arpino

 

Grata,

Paola Vasconcelos

 

Sobre projetos e processos

Em breve realizaremos o quarto processo seletivo que, nos anos anteriores, chamamos de audição. Este texto é para quem está interessado em participar deste processo. No segundo ano foi solicitado ao final do texto sobre a audição, aqui no blog, que o candidato, ou candidata, escrevesse no e-mail de inscrição: eu li o texto até o final. Brincadeiras a parte, muita gente não lê todas as informações, como muitas vezes não se atenta para as especificidades do NECITRA, pelo menos no que o diferencia de um modelo hegemônico de gestão do trabalho, digamos assim. Sem se atentar para esses “detalhes”, muitos candidatos se apresentavam na audição com expectativas sem par na nossa realidade como um núcleo de artistas. Por esse motivo modificamos o nome de audição para processo seletivo e solicitamos o envio de um projeto, além de apresentar o nosso regimento interno que, por si só, já é bem explicativo da nossa atual realidade. De qualquer forma, temos recebido retornos de pessoas que dizem que não vão se escrever no processo por não ter um projeto. Sobre isso, então, escrevo.

(E é, portanto, uma perspectiva com um tom individual, mas compartilhada pelo coletivo no seu cerne, qual seja, da importância dos projetos.)

Se alguém me disser que não tem um projeto, eu diria, mas como você vive? Como você é um artista sem projetar sua obra? Sem projetar seus estudos? Sem projetar seu treinamento? Sem projetar sua vida…? Veja que não estou falando de um projeto para concorrer ao Fumproarte, FAC, Funarte… É descrever o que você pretende e como pretende desenvolver, neste caso, nos espaços do NECITRA. Claro que, se estiver no momento da criação de um espetáculo, será um projeto mais completo. Mas pode ser um projeto de estudo (que é muito bem vindo), você pode pretender aprender, mas e como irá fazer isso? Método: dialogar com os colegas, participar das aulas dos colegas (que são gratuitas para participantes do núcleo), ler, pesquisar na internet, realizar laboratórios de experimentação… o que for.

O NECITRA é um núcleo que preza pela autonomia do indivíduo, que se propõe a criar, coletivamente, um ambiente estruturado para que todos os artistas possam se potencializar, e com isso potencializar o todo, e desenvolver seu trabalho. Esse ponto é muito caro, porém, não queremos viver uma ditadura da “autonomia criativa”. Você não precisa necessariamente propor uma nova criação. Seu projeto pode ser participar dos projetos dos outros, pode ser ser dirigido, coreografado, por exemplo, o que for. Não há modelos, há espaço para serem ocupados. Pense nisso, todos precisamos de espaço para ser.

Então:

Quem você é, hoje?

Hoje, o que quer, o que deseja, como se vê como artista, no futuro, e o que precisa para isso. Não sabe? Talvez um projeto de estudo possa te dar essa base… Já sabe, mas ainda falta bala na agulha? Ainda um projeto de estudo e treinamento… Sabe, e tem vocabulário técnico? quem sabe um projeto de experimentação, laboratórios criativos… Já sabe, tem domínio técnico, e já experimentou o suficiente? Seria então a criação/finalização da obra: coreografia, número circense, monólogo, vídeo, texto, foto, ilustração… o que você faz? E se você for produtor, seu projeto pode ser amparar a produção executiva dos espetáculos em criação… Se for iluminador, trabalhar junto aos espetáculos para salas de teatro, ou demais espaços que precisam de luz cênica… Se for compositor, ótimo, muitos trabalhos precisam de trilha… Se for diretor, é bem provável que algum projeto possa precisar de um, assim como dramaturgo, coreógrafo… quem sabe até psicólogo, administrador, contador… Pense o NECITRA como uma comunidade, é um espaço de realização, de tornar real. Traga suas coisas, misture com as coisas daqui (ideias, gentes, coisas) e criei coisas, e crie a si mesmo. É uma mistureba de coisaradas. 😉

É desafiador, viver junto, viver consigo, lidar com a angústia de poder decidir… mas acredito que é com os desafios que crescemos, pense então o NECITRA como um espaço de crescimento. Eu penso assim, para mim tem funcionado.

Tenho um teoria de vida que sintetizo em uma palavra: FAZ.

Todos tem dúvida, mas se você tem um pontinho de certeza de que deve fazer, se sente, intui, FAZ. Evite as expectativas, certo e errado é a mesma coisa, embora sejam coisas diferentes. Não importa tanto. Nada importa tanto quanto o FAZER. O equilíbrio se dá em movimento. O aprendizado também. Só saberás quando estiver mais à frente na caminhada, e puder ligar os pontos olhando para trás, e com essa informação melhorar os futuros projetos e, de novo, fazer. É a vida. Quantas pessoas estão por aí paradas ou andando em círculos…? Sempre penso nisso. Bom,

Espero que tenha contribuído. Espero que você possa ter tido a paciência e o engajamento necessário para ler até o final deste post. Talvez o FAZER comece por buscar as informações, em ser curioso. Tem também a ver com coragem, que é, agir com o coração. Certamente tem um início em acreditar, em dar crédito à vontade – e a crença em si vai aumentando com o resultado de se estar fazendo, e a vontade deve crescer, e com isso se FAZ mais. É quase infinito. 🙂

Bom, se quiser FAZER (seja o que for), seja bem-vindo, seja bem-vinda. Ah, o projeto é o esboço desse fazer, mas já, em si, fazer.

Até.

E lembrando, sobre o processo, onde, ao final, existem mais textos indicativos sobre o NECITRA, como o regimento… : http://necitra.com/2016/02/05/processo-seletivo-necitra-2016/

Indico também a leitura:

Mais sobre projetos: http://diegoesteves.in/escritos/2013/05/23/desdobramentos-1-comecando-a-desdobrar/

Sobre atitude, algo assim: http://diegoesteves.in/escritos/2013/05/26/consequente-ou-consequencia/

 

Mostra de Processos – Fevereiro

Mais três trabalhos do NECITRA em processo vão para a cena com o intuito de promover diálogo entre artistas e público. A entrada é franca. Saiba mais o que será apresentado:

“A escorrer” – Fernanda Boff
Nem tudo se torna segurável, o que não fica escorre. O corpo como tentativa de permanência, o movimento como possibilidade de continuar. Aquilo a que me agarro, luto. Daquilo que não posso ter controle, quero.

“Kashemira” – Carol Mendes
Esse trabalho surgiu após uma pesquisa de movimentação com a Crystal. Considero uma cena de dança com equilíbrio. Para esse ano, vou desdobrar experimentando outras movimentações, trilha e figurino. Essa cena vai fazer parte do meu espetáculo Duo com o Ramon Ortiz.

“Sertão” – Nina Eick
Cena baseada no livro de Guimarães rosa “Grande Sertão: Veredas”, estudo para trabalho que será apresentado no final deste ano. Este fragmento fala sobre o SERTÃO, ou “SER” “TÃO”, “SER” “MUITO”, o sertão que existe dentro de cada um e o Sertão que é o mundo.

Fotografia: Manuel Vason
Fotografia: Manuel Vason

Processo seletivo NECITRA 2016

 

O NECITRA torna público seu quarto processo seletivo, a ocorrer conforme segue:

 

1 – Dos prazos

1ª etapa, inscrições: até 02 de março, quarta-feira, às 23h59m.

Resultado dos aprovados para a segunda etapa: 06 de março

2ª etapa, presencial: 08 e 10 de março, terça e quinta-feira, das 14 às 17h30m. Local: sala 400 da Usina do Gasômetro.

Resultado final: 13 de março, através do email e publicação no site.

Recepção dos novos participantes: dia 17 de março, quinta-feira, 14 horas.

 

2- Das etapas

Inscrições: deverão ser feitas através do email necitra@canto.art.br. Não serão aceitas inscrições fora do prazo ou enviadas através de outro meio.

Documentos a serem enviados:

– Currículo resumido

– Carta de intenção

– Um projeto de pesquisa a partir de seus interesses pessoais que poderá vir a ser desenvolvido junto ao núcleo. Deve conter: concepção, objetivos, métodos e resultados previstos (se pretende criar uma cena/número/coreografia, um vídeo, um texto, um estudo, ilustração, etc)

– Links de referências para vídeos, fotos, textos, etc.

Somente o quarto item é facultativo, os demais são indispensáveis para a avaliação.

Etapa presencial: Será composta de uma entrevista e uma apresentação (não obrigatória), mas importante para a avaliação -o proponente terá um tempo livre de até cinco minutos para apresentação: um número, coreografia, monólogo, demonstração de habilidades, improviso, etc.

 

3- Considerações e referências para estudo

Em 2015 foi publicado um texto para apresentação do núcleo aos interessados em participar do processo seletivo, sugerimos a leitura NESTE LINK.

O núcleo não segue a direção de uma pessoa, as decisões são deliberadas em reunião. Possui um coordenador, tesoureiro, secretaria e coord. da comunicação – que formam a diretoria. Sobre a diferença entre diretor e coordenador no trabalho do núcleo, sugerimos a seguinte leitura NESTE LINK.

Todos os processos do núcleo são orientados pelo seu regimento interno, leitura indispensável NESTE LINK.

Se deseja se inscrever, seja bem-vindo – bem-vinda. Dúvidas podem ser sanadas pelo e-mail necitra@canto.art.br.

Boa sorte no processo.

Mostra de Processos – Novembro

Sobre o que perpassa elas, de Paola Vasconcelos

Esse experimento surge de um processo de tomar emprestados movimentos da minha mãe e irmã. Pensando de que forma isso se reconstrói, se acomoda ou me desafia na minha experiência de mover. A idéia dessa proposta surge da busca da artista por algo intrínseco que se desdobra nesses corpos femininos de uma família.

O encontro, de Ana Cláudia Bernarecki e Béthany Martínez

A cena é um fragmento da pesquisa que está em andamento, inspirada na na obra “Mulheres que correm com os lobos”, de Clarissa Pinkola Estés. Ganha forma e seus primeiros experimentos. Conhecer, descobrir e relacionar-se com a mulher selvagem que existe dentro de você, suportar o que se vê e perceber o que está oculto. As limitações e barreiras que nos impedem de acessar os inúmeros rostos do feminino selvagem. Como transitar dentro dessas inúmeras descobertas? Estamos aprendendo.

Pequena parte, de Fernanda Bertoncello Boff

Em meio a recordações, registros por escrito, em vídeo e histórias contadas, a artista visita sua infância na busca de redescobrir seu eu-arteiro e suas reverberações. Em uma época que brincar/artistar a vida é basicamente estar e se relacionar com o mundo, como as memórias e registros de criança podem servir de alimento para essa arte que agora é profissão? – Esse laboratório faz parte do projeto “Pequenices”, contemplado pelo Prêmio Funarte Klauss Vianna de Dança 2014.

Mostra de processos

Fotografia: Yamini Benites

Mostra de Processos – Outubro

Mais três trabalhos do NECITRA em processo vão para a cena com o intuito de promover diálogo entre artistas e público. Saiba mais o que será apresentado:

Diego Esteves reapresentará a cena “Era uma vez: Ana…” e um novo experimento, “Era uma vez: Luana…”. Qualquer semelhança não é mera coincidência: as duas cenas tem como tema os relacionamentos amorosos, ressaltando os exageros dessas relações – desejo, paixão, apego, liberdade, recusa, dor, falta, desejo… O que na vida ganha um ar serio e emoções intensas, no palco é vivenciado com humor, quando percebe-se as contradições e paradoxos dos nossos relacionamentos, com os outros e consigo mesmo.

“Como se move um corpo que não se move?” – de Patricia Nardelli

Trata da investigação dos efeitos da imobilidade como forma de buscar acessar o corpo nos processos decorrentes da sua mortalidade. Para tanto, o corpo se submete a um período de resistência ativa aos impulsos de movimento, voltando a atenção para os incômodos gerados durante o transcorrer da experiência. Dessa forma, os incômodos físicos e o estado de consciência atingido servem como guias para a movimentação, possibilitando a descoberta de um novo corpo e de suas possibilidades de movimento.

“Pequena Parte” – de Fernanda Boff

Em meio a recordações, registros por escrito, em vídeo e histórias contadas, a artista visita sua infância na busca de redescobrir seu eu-arteiro e suas reverberações. Em uma época que brincar/artistar a vida é basicamente estar e se relacionar com o mundo, como as memórias e registros de criança podem servir de alimento para essa arte que agora é profissão? – Esse laboratório faz parte do projeto “Pequenices”, contemplado pelo Prêmio Funarte Klauss Vianna de Dança 2014.

Mostra de Processos

Canto 400 – Programação Outubro/2015

Todo mês, nosso Canto 400 fica cheinho de atividades bacanas para vocês… Com preços super acessíveis e um final de semana todo gratuito. Em outubro, as oficinas de sábado serão direcionadas para a criançada, a partir do dia 10. Confere aí tudo que vai rolar. Para maiores informações e para realizar inscrição entre em contato através do e-mail: necitra@canto.art.br

Quem escolher mais de uma oficina tem desconto!

Programação outubro

Mostra de Processos – Agosto

O NECITRA leva para cena alguns trabalhos ainda em processo, propondo bate-papo ao final das apresentações. O intuito é de promover maiores trocas com o público. A entrada é franca! Confira a programação dessa próxima Mostra:

“Experimento Plataforma – Espaço Arcabouço”, de Gabriel Martins

Cena de malabarismo de rebote utilizando uma plataforma de madeira. O objetivo da cena é explorar as possibilidades que o equipamento possibilita na sua relação com o corpo e as bolas de rebotes.

“Veredas Mortas”, de Nina Eike | com direção e participação de Mariana Del Pino

Parte incial da pesquisa de construção de um monólogo baseado no romance de Guimarães Rosa- Grande Sertão: Veredas- apresentação de experimentações que estão sendo realizadas no processo.

“A África em Mim – Um Resgate da Ancestralidade”, de Rômulo Ferreira | com participação de Rodrigão Rodríguez

Uma pesquisa que busca através da música e do estudo da história da África e do Brasil resgatar a ancestralidade presente em mim através da dança.

Mostra de Processos

Fotografia: Martha Reichel Reus