Desdobrando da primeira para a segunda edição

Desdobramentos ensaio Trans, forma e ação + Tribal

Boa tarde! 🙂

Publiquei, sob o mesmo título, no meu blog pessoal, sobre o Desdobramentos. Não farei aqui, então, menção ao processo de gestão coletiva e produção deste projeto, que foi a pauta daquele texto. Mas quero fazer referência – e reverência, ao processo artístico. Não ao processo específico do Desdobramentos, mas dos procedimentos mais básico da arte, de todas as artes: a criação: estudos, experimentos, testes, negações, recomeços, refazimentos…

Com o desenvolvimento de um mercado da arte, ou de uma economia criativa, com a criação de editais, de incentivo fiscal, de leis de fomento, etc, ganhamos em estrutura, mas criamos um circulo vicioso onde o principal perigo é a mudança nos procedimentos artísticos, sobretudo na perspectiva temporal e de aprofundamento de conteúdo, de pesquisa de material. O tempo não é mais o da pesquisa, é o do edital, do relatório… A importância não está mais em amadurecer a obra, mas em finaliza-lá e criar outra, para o próximo edital… E a plateia está inserida no item “retorno de interesse público”, como um número – e deixa de ser o outro com o qual nos encontramos, com quem compartilhamos as mazelas ou bonitezas da vida, através da arte..

Dedobramentos Carol

O Desdobramentos não é uma mostra de processo (muito menos um work in process!), ele é um compartilhamento com o outro (do ensaio, da plateia), um estar (em ensaio, em cena) no meio de algo, sem estar preocupado com a conclusão, mas experimentar as possibilidades, e ter tempo de treinar as técnicas – pois sim, fazer arte é também treinar, e é preciso tempo para repetir, e repetindo se aperfeiçoar.

Muito se abandona nesse processo, e coisas surgem de onde menos se espera, e de onde se espera, por vezes, nada surge. É preciso ter tempo…

ensaio Desdobramentos Diego e Fê

Em 02 de junho tivemos a primeira edição do Desdobramentos e daqui uma semana, no dia 27, estaremos com a segunda edição. Cada uma delas é diferente, pois estamos no meio de criações diferentes, ou em outros meios das mesmas criações. E coisas vão se desdobrando em outras, e nós vamos nos desdobrando em nós mesmos, com outros, enfim. 

Deixe uma resposta